Evandro Teixeira / A Fotografia no Contexto da História

O fotojornalista recebeu, entre outros, o Premio Especial da Unesco no Concurso Internacional “A Família”, em Tóquio, Japão (1993), e os Prêmios do Concurso Internacional da Nikon, Japão, 1991 e 1975 e da Sociedade Interamericana de Imprensa, em Miami, EUA. Editou em 1983 o seu livro “Fotojornalismo”, registrando acontecimentos nacionais e internacionais marcantes desde a década de 60, com prefácio e texto do poeta Carlos Drummond de Andrade e dos escritores Otto Lara Resende e Antonio Callado.

Em 1988, lançou a edição ampliada do livro, no Rio, São Paulo e Basel (Suíça).

Em 1992, “Fotojornalismo” foi incluído no acervo da Biblioteca do Centro de Artes Georges Pompidou, Paris, França.

Em 1994, tem o currículo incluído na Enciclopédia Suíça de Fotografia, onde estão registrados os maiores fotógrafos do mundo. Suas fotos fazem parte dos acervos do: Museu de Belas Artes, Zurique, Suíça; Museu de Arte Moderna La Tertulha, Cali, Colômbia; Masp, São Paulo; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e Museu de Arte Contemporânea de São Paulo. Já realizou exposições individuais nas principais capitais do mundo e em várias cidades do Brasil. Foi jurado de prêmios nacionais e internacionais de fotografia/jornalismo. Em 1997, lançou “Canudos, 100 anos”, um registro histórico do cenário da guerra e de seus sobreviventes, todos com mais de 100 anos, e seus herdeiros.

Em 2002, lançou “O Livro das Águas”, registrando o impacto do programa de irrigação na vida dos sertanejos do Rio Grande do Norte. Evandro fez parte da fotografia do Jornal do Brasil durante as principais coberturas do jornal. Em 2004, Evandro teve sua vida e obra retratada em um documentário, exibido nacionalmente: “Evandro Teixeira: Instantâneos da Realidade”.

Em 2008, recebeu o Grande Prêmio de Arte Plásticas Marco Antonio Vilaça, pela coleção (proibida) de fotos da Bienal de Paris de 1969 que representou a aquisição de parte do acervo do fotojornalista para o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM).

Em 2010, conquistou o Prêmio de Arte e Cultura do Estado do Rio de Janeiro.

Em 2014, teve sua biografia lançada: “Evandro Teixeira – Um certo olhar”. Em 2015 – Exposição individual (6 meses) no novo museu do Rio, MAR. Lançamentos do seu livro: “Retratos do Tempo” – uma edição atualizada dos 50 anos de fotojornalismo.